Blog
Ginecologia
10 dúvidas mais comuns sobre a sexualidade feminina

As respostas para as dúvidas que você tem vergonha de perguntar sobre a sexualidade feminina.

Não é só você: todas as meninas (e meninos, e homens, e mulheres) têm na cabeça um monte de interrogações envolvendo a sexualidade. Muitas vezes, a vergonha acaba vencendo a curiosidade. Para facilitar, selecionamos dez perguntas aparentemente bobas, mas que podem tirar o sono de alguns. Quem responde é a ginecologista e obstetra Natalia Zekhry, da Clínica Célula Mater.

1 – Sexualidade feminina – Esqueci de tomar a pílula. E agora?

Caso você tenha esquecido por um dia apenas, tome duas no dia seguinte. Mas, se você esquecer por mais de dois dias, diminuirá a sua eficácia. Siga tomando a cartela, mas lembrando de usar a proteção adicional.

2 – Sexualidade feminina – É possível engravidar menstruada?

lgumas mulheres têm o ciclo muito curto – ou seja, menor que 24 dias. Nesses casos, às vezes a ovulação pode ocorrer muito próximo ao período menstrual. E aí o risco existe, sim. Não custa nada reforçar a proteção, principalmente no final da menstruação.

sexo-na-gravidez

3 – Sexualidade feminina – Posso usar apenas a pílula do dia seguinte para evitar a gravidez?

Nem pensar. Primeiro porque esse método é menos eficaz que outros, como a pílula e a camisinha. E depois porque ela contém uma dosagem hormonal altíssima, que é ruim porque pode desregular o ciclo menstrual, além de provocar enjoos e dor na mama. Ou seja: lembre-se dela apenas em situações de emergência, quando os outros métodos falharam.

4 – O que é coito interrompido? Dá para evitar a gravidez com essa tática?

O coito interrompido funciona assim: na hora H, pouco antes de ejacular, o parceiro tira o pênis de dentro da vagina e ejacula fora. Esse é o chamado coito interrompido.

Mas essa tática é duplamente insegura. Como método anticoncepcional, o homem precisará de muita destreza para não perder o controle e, se isso ocorrer, pinta o risco de uma gravidez indesejada, o que pode gerar grande insegurança para a mulher porque ela fica completamente na dependência do parceiro, além de comprometer a satisfação de ambos durante o ato sexual. Em segundo lugar, o coito interrompido não mantém o casal protegido contra DSTs. Ou seja: melhor apostar na camisinha e em outro método anticoncepcional para ela.

5 – Sexualidade feminina – Dá para perder a virgindade com um absorvente interno?

Não precisa se preocupar porque, embora o hímen fique na entrada da vagina, rompê-lo com um absorvente é bem difícil. E, já que estamos falando nesse assunto, é bom lembrar que o ideal é utilizar o absorvente interno por períodos de quatro a seis horas, no máximo.

Cuidados com a flora vaginal

6 – Por que não tive sangramento na minha primeira relação?

Meninas, ficou no passado a história de que sangrar depois da primeira relação era considerado importante. Fique tranquila: não há motivo algum para se preocupar com esse detalhe. A espessura e a elasticidade do hímen variam de pessoa para pessoa. Assim, você pode notar um sangramento sem ter tido uma relação completa ou, ao contrário, ter uma relação completa sem sangrar. Também é possível que, ao longo das primeiras relações, você note um pouco de sangramento. Tudo absolutamente normal.

7 – Namorar na banheira, sem penetração e sem preservativo, é arriscado?

Sim. Segundo Natalia, há tanto o risco de adquirir uma doença sexualmente transmissível quanto o de engravidar. No caso das DSTs, o contágio acontece pelo contato com os genitais, mesmo sem penetração, dentro ou fora da água. Quanto à gestação, o perigo está na atração química que existe entre o sêmen e o óvulo. A água, diferentemente do que muita gente pensa, não interfere nesse processo.

8 – Tomo a pílula e vivo menstruando fora de hora. Há algo errado comigo?

Não necessariamente, mas é interessante ter uma avaliação médica para entender o porquê disso estar acontecendo.

9 – A primeira relação sexual sempre dói?

Cada mulher é única, assim como são as circunstâncias da primeira vez. Por isso, é impossível prever se ela vai ou não ter algum desconforto na hora H. Isso vai depender muito do grau de intimidade com o seu parceiro, do quão relaxada você vai estar e se estiver tranquila quanto à prevenção da gravidez e de doenças sexualmente transmissíveis.

10 – O teste de HIV deu negativo. É sinal de que meu parceiro não oferece risco?

Não! O teste não reflete os últimos três meses – assim, se o seu parceiro se infectou nesse período, o teste ainda pode vir negativo. É a chamada janela sorológica. Além disso, não se pode esquecer de outras DSTs, como a clamídia, a herpes genital, o HPV, entre muitas outras. A camisinha continua indispensável.

Agende sua consulta urológica com a Dra. Miriam Dambros

Notícias relacionadas

A adolescência é uma experiência de inúmeras transformações físicas que envolvem novos cuidados e pontos de atenção com relação ao corpo dos adolescentes. Para se cuidar melhor, selecionamos 5 dicas valiosas da médica urologista Dra. Miriam Dambros que certamente...
Saiba +
A descoberta da identidade de gênero e da orientação sexual pode ser uma fase perturbadora para pais e filhos. Mas é possível vivenciá-la de maneira saudável. Você pode não saber o que é uma transgênero homossexual, mas talvez já...
Saiba +
Em sua formação, o foco do enfermeiro obstetra é o “cuidar”. Cuidar do bem-estar físico e emocional do binômio mãe e filho. Pela lei do exercício profissional, o enfermeiro está apto a fazer o pré-natal, parto e acompanhar o puerpério...
Saiba +
criado por: agenciaecco.com.br
Open chat